Artista em Destaque: Alice Skinner


Adobe
Valores feministas x músicas de hip hop misóginas
A marcha do dia 8 de março marca o Dia Internacional da Mulher, uma celebração global das conquistas políticas, sociais e econômicas das mulheres que clamam pela igualdade de gênero.
Para celebrar a ocasião e focar na tendência visual deste mês, Eu Fluído, nós nos juntamos a Alice Skinner, uma das ilustradoras mais importantes de Londres. Nós desafiamos Alice a criar três imagens usando Adobe Stock para celebrar as mulheres em 2018.
Alice defende as mulheres e a igualdade de gênero o ano todo. Seja se manifestando contra o imposto dos produtos de higiene pessoal, como absorventes, no Reino Unido; comentando a misoginia na cultura hip-hop ou empoderando a mulher curvilínea. Não há nada, sinceramente, que a criatividade não possa fazer.
Confira nossa entrevista e seus últimos trabalhos abaixo.
Adobe: Oi, Alice! Nos conte um pouco sobre o que você faz?
Alice: Oie! Eu sou uma ilustradora e artista visual de Londres. Eu crio muitos trabalhos que são guiados pelo meu ativismo e angústia no mundo, no entanto, eu também gosto de injetar um pouco de humor e cores lúdicas nas minhas ilustrações.
A: Qual o conceito por trás das suas peças do Dia Internacional da Mulher para a tendência deste mês “Eu Fluído” ?
AS: É a minha visão de que em 2018, as mulheres podem ser o que quiserem, não há mais moldes sobre o que nós deveríamos ser. Nessas peças, eu estava brincando com a noção das mulheres usando calças. Eu estava pensando sobre o Eu Fluído, sobre roupas e como nós temos o poder de escolher como nos apresentarmos para o mundo. Nós podemos ter nossa própria feminilidade sem esconder nossos lados masculinos, não há binaridade nas roupas. Eu queria que as mulheres fossem grandes e ousadas, ocupando espaços que mulheres, anteriormente, eram desencorajadas a ocupar, dominando as mais altas posições.
Alice Skinner para Adobe Stock
A: Você diria que as mulheres estão mais empoderadas do que nunca em 2018?
AS: Sem dúvida. Eu acho que o clima politico atual, e o fato de muitas mulheres estarem falando sobre problemas sexistas que elas têm que lidar, há uma mudança acontecendo. As coisas estão mudando e somos nós mulheres que estamos fazendo isso acontecer, é um momento muito emocionante de se vivenciar.
A: Como você definiria gênero? As divisões mudaram nos últimos anos?
AS: Eu acredito que o meu próprio entendimento da definição de gênero mudou extremamente nos últimos anos. O mundo está constantemente evoluindo e está claro que nós não podemos mais nos dividir em duas categorias, as coisas não são preto no branco. É ótimo que os diálogos se abriram e estamos nos tornando mais abertos em relação a fluidez entre os gêneros e o desejo das pessoas de se limitar a isso.
Alice Skinner para Adobe Stock
A: Você está trabalhando em algo muito empolgante que pode nos contar?
AS: Meu livro ‘The Revolution Handbook’ (‘Manual da Revolução’) acabou de ser publicado, então eu ainda estou nessa correria…confiram! Eu também vou exibir um trabalho no Festival AWOMEN em Peckham no final do mês e espero exibir mais trabalhos e criar outros livros em 2018. Existem algumas outras coisas em andamento que eu não posso adiantar por agora, mas fiquem ligados!
A: Nos explique seu processo criativo. Como você gerencia seu fluxo de trabalho?
AS: Meu processo criativo geralmente começa com uma ideia que nasce da inspiração ou da minha frustração sobre algo que está acontecendo no Current Affairs. Uma coisa boa de ser uma artista política em 2018 é que eu nunca estou sem ideias…o mundo atualmente é um presente que você continua recebendo! Eu também crio muitas listas que me ajudam a administrar meu fluxo de trabalho, embora se alguém vir os rabiscos nas minhas anotações, vai ficar muito confuso.
A: Você usa os produtos Adobe para editar seus trabalhos? Se sim, como?
AS: Eu normalmente faço o rascunho de tudo à mão com lápis e então passo a limpo com a caneta. Depois disso, eu scanneio no Photoshop e brinco com os diferentes efeitos e cores, até que eu esteja feliz com a peça finalizada.
Alice Skinner para Adobe Stock
A: Qual é seu aplicativo Adobe favorito? Por quê?
AS: Eu tenho que dizer que é o Photoshop. É uma ferramenta inestimável para o meu trabalho, se ele desaparecesse, eu ficaria totalmente perdida. Eu acredito que o Photoshop é uma das ferramentas mais revolucionárias dos nossos tempos e mudou a função do design para sempre.
A: Qual a palavra que te vem a cabeça quando você pensa na Adobe e na Creative Cloud? Por quê?
AS: Infinidade. Há tanto para ser criado e produzido e milhares de caminhos para isso. A Adobe está constantemente crescendo e se expandindo, o que significa que você como usuário, também evolui.
“Se você é imparcial em situações de injustiça, você escolheu o lado do opressor” – Ilustração Alice Skinner
A: Qual conselho você daria para os atuais e os futuros ilustradores?
AS: Desenhe, desenhe, desenhe! Um professor uma vez me disse que desenhar todos os dias é a melhor maneira desenvolver seu estilo e isso é totalmente verdade. Mesmo se for um rabisco rápido ao invés de uma peça finalizada. É algo que eu tento cumprir.
Muito obrigada, Alice, por estar conosco. Siga Alice no Instagram, Twitter ou Behance para ver seu último trabalho e descobrir seus próximos lançamentos.
Se você também é ilustradora, venda seu trabalho em Adobe Stock!